Sabe o que é uma praga?

“Praga”, é o termo que se dá a qualquer ser não microscópico: inseto, aracnídeo, réptil, mamífero, etc., que afeta uma planta de tal forma que, os estragos causados na cultura são elevados, tornando a sua venda impossível e acarretando graves prejuízos económicos para os agricultores.


No quadro seguinte, resumimos algumas das principais pragas que afetam as brássicas, indicamos os sintomas que provocam e o modo de prevenção ou tratamento:


Se ainda tiver dúvidas, descarregue a aplicação móvel OpenPD para identificação de pragas e doenças das plantas, diretamente da Google Play Store.
É simples, gratuito e pode entrar em contato com outros agricultores, académicos e técnicos de agricultura.

Fontes:
A horta e o jardim biológicos; Pears, P. e Stickland, S.; Colecção Euroagro; 2006

Hoje em dia, é comum por todo o país (principalmente nas cidades do litoral) existirem as chamadas “hortas urbanas”.
E há as oficiais, isto é, aquelas que foram devidamente planeadas pelas Câmaras Municipais e outras entidades reconhecidas e as que surgiram de forma aleatória, à beira das estradas, nas rotundas e circunvalações, nos quintais outrora abandonados, …

Segundo Raquel Antunes Saraiva, na sua tese de Mestrado em “Gestão do Território”:
“A abertura dos mercados e o incremento da importação de produtos alimentares tem vindo a prejudicar quer o mercado local, quer a sociedade, devido aos custos ambientais, provocados pelas distâncias percorridas entre países, pela perda de oportunidades a nível das economias locais, extinção de variedades tradicionais, alterações da dieta alimentar, alterações na paisagem provocadas pelo abandono da actividade agrícola e agravamento da balança comercial. Deste modo, foi integrada a componente ambiental nas políticas urbanas para defender a criação de medidas de mitigação dos problemas apresentados, aumentando gradualmente a qualidade de vida dos seres vivos. A agricultura urbana revela-se assim, em pleno século XXI, como parte integrante do modelo de desenvolvimento da cidade. Deste modo, as hortas urbanas são uma estratégia a nível local e traduzem-se na forma espontânea de utilizar os espaços intersticiais das cidades, contribuindo para o valor estético da paisagem, controlo climático, espaço de recreio e lazer, abastecimento alimentar local e regional.

E se há quem faça da sua horta urbana, o espaço onde vai descontrair do stress do dia a dia, sem ter necessidade de ir ao ginásio ou ao psicoterapeuta, também há quem cultive o pedaço de terra que encontrou ou que lhe foi atribuído, para apoiar a sua economia doméstica.
Seja por um ou outro motivo (ou ambos), o importante é que não só os terrenos não ficam ao abandono, como se está a contribuir para o bem-estar físico da população, dois fatores importantes para o desenvolvimento saudável e sustentável da sociedade.

Compare as Kcal gastas em várias atividades físicas com a agricultura…
GASTO CALÓRICO DA ATIVIDADE EM KCAL/HORA (Calculado para uma pessoa de 70 kg) 
Andar de bicicleta
180 a 300 kcal/hora
Agricultura/jardinagem
530 kcal/hora
Caminhar rápido
520 kcal/hora
Caminhar devagar
240 kcal/hora
Computador
95 kcal/hora
Corrida
500 a 900 kcal/hora
Cozinhar
168 kcal/hora
Dançar
605 kcal/hora
Dormir
60 kcal/hora
Escrever
10 a 20 kcal/hora
Estudar
120 kcal/hora
Exercício leve
310 kcal/hora
Falar ao telefone
85 kcal/hora
Jogar vídeo jogos
108 kcal/hora
Jogar futebol
580 kcal/hora
Lavar louça
60 kcal/hora
Limpar a casa
300 kcal/hora
Natação
500 kcal/hora
Subir escada
1000 kcal/hora
Trabalho mental casa
60 kcal/hora






















A não ser que suba escadas a toda a hora, jogue como um profissional de futebol, corra como uma lebre ou dance, então, vale a pena fazer agricultura!

E com aplicação móvel OpenPD (http://goo.gl/809IES) para identificação das pragas e doenças das plantas tudo fica mais fácil ainda…


Fontes:
http://goo.gl/xv3gLN

http://goo.gl/i6l4EQ

Descubra como a sabedoria popular é boa conselheira…

"Não há boa terra sem bom lavrador."

"A lavrador descuidado, os ratos (lhe) comem o semeado."

Outubro revolver.”

“Um dia de Outono vale por dois de Primavera.”

“Outubro quente traz o diabo no ventre.” 

“Outubro meio chuvoso faz o lavrador venturoso.”

“Logo que Outubro venha, prepara a lenha.” 

“Em Outubro, pega tudo.”

“A árvore plantada no Outono tem um ano de abono.”

“Se Outubro for erveiro, guarda para Março o palheiro.”


E assim é na verdade, pois quem trabalha na agricultura não tem horários… as estações sucedem-se… o tempo não para… e por isso, há que estar sempre alerta!

Vamos lá então definir mais tarefas e preparar os terrenos:

  • limpar as terras e retirar os detritos das culturas anteriores (varas, caules, folhas, plantas mortas, …) e guardar os tutores (canas, estacas, …);
  • lavrar, cavar, estrumar e incorporar adubos orgânicos são tarefas importantes para as hortícolas cultivadas na época de Outono-Inverno, como as couves, a cebola, a fava, a ervilha, …;
  • sachar e se necessário cobrir, as couves de cabeça, como as pencas, os repolhos, a couve-flor e os brócolos;
  • tratar dos espargos – fazer a amontoa e iniciar a forçagem da cultura;
  • aproveitar o calor que o solo ainda tem para fazer sementeiras diretas de nabo temporão, nabo saloio e nabo da Beira;
  • estar atento à ocorrência de geadas e se possível, cobrir as plantas que forem mais sensíveis a este acidente meteorológico, com manta térmica, por exemplo.



E se aparecerem as primeiras pragas e doenças, lembre-se que tem a aplicação OpenPD, para o(a) apoiar na identificação das mesmas… 
Do que está à espera?
Só tem que descarregar a app de forma gratuita em http://goo.gl/U5gHuY e fazer a sua publicação no fórum, onde outros agricultores, técnicos e até académicos o podem ajudar com o seu problema…

Fontes:
“Calendário Rural”; Ripado, M.F.; Biblioteca Agrícola Litexa (1991)
http://goo.gl/m6me2d

Ter uma plantação de eucaliptos saudável e com uma boa produção, implica identificar de forma correta as pragas e doenças que atingem esta espécie e saber como as tratar, de forma eficaz e atempada.
Nesse sentido, é importante a prevenção e como tal, saber quais as que mais atingem os eucaliptos, é crucial.
Assim, as pragas e doenças mais comuns em Portugal são:
  • Gorgulho-do-EucaliptoGonipterus platensis
  • Doença das Manchas das Folhas – Complexo Mycosphaerella

Do Gorgulho, já falamos num artigo anterior, em Março de 2016 (https://goo.gl/77oeg7).

Neste, vamos dedicar a nossa atenção à Doença das Manchas das Folhas, causada por fungos do género Mycosphaerella, nomeadamente o Mycosphaerella molleriana, que tem maior incidência no Litoral Norte e Centro, embora esteja presente em todo o país.

Como estar preparado para esta doença?

Este fungo ataca preferencialmente a folhagem juvenil, causando lesões pequenas nas folhas, com formas angulares ou irregulares de coloração variada e frutificações negras (pontuações). A desfolha, leva à perda de área foliar e à consequente diminuição da atividade fotossintética, o que provoca redução da taxa de crescimento e de reprodução.
A doença está associada a períodos de maior humidade (a água arrasta os esporos criando novos focos de infeção) com temperaturas amenas, sendo mais frequente no Outono e Inverno.

Meios de controlo/luta:
Não existem fungicidas homologados contra esta doença e a aplicação em campo não é eficaz.
A melhor forma de combater este fungo é preveni-lo:
  • através da utilização de plantas melhoradas com resistência à doença (ex: seleção de árvores com transição precoce para folha adulta);
  • fazendo uma gestão silvícola adequada. 

Se tiver dúvidas quanto ao ataque desta doença, pode sempre recorrer ao Gabinete Florestal que dá apoio à sua zona.
Sabia que, com a aplicação para telemóveis OpenPD tem a possibilidade de solicitar alertas sobre “epidemias potenciais”?
Descarregue a app de forma gratuita no nosso site em https://goo.gl/69PQs3 ou diretamente na Google Play Store em https://goo.gl/WoD78o.

Fontes:
https://goo.gl/rjLJ68
https://goo.gl/bAuYKU

A comunidade OpenPD tem crescido significativamente, pelo facto da app móvel:

  • ser intuitiva e fácil de usar;
  • permitir no terreno e em tempo real, acelerar a identificação de pragas e doenças das plantas.

Em Agosto de 2016, ultrapassou os 3.000 utilizadores da app e que estão em países tão diversos como Espanha, Estados Unidos, Índia, Austrália, Filipinas ou … Nepal!

Nesse sentido, estamos a melhorar a comunicação e por isso temos um novo site, bilingue (inglês e português), mais apelativo, com a informação mais organizada e fácil de seguir, …


(Re)descubra-nos em http://www.openpd.eu/pt/inicio/ e dê-nos a sua opinião…