Ano Internacional das Leguminosas de Grão



Segundo informação da FAO, 2016 é o “Ano Internacional das Leguminosas de Grão”. E esta entidade, foi designada para implementar a temática e as actividades com ela relacionadas, em colaboração com os governos dos diversos países, organizações relevantes e ONG, entre outros “stakeholders”.

O objectivo deste ano, visa aumentar a consciência da população para o benefício dos grãos secos (lentilhas, feijões, grão-de-bico, ervilhas, ...) enquanto alimento que pode ser obtido através de uma produção sustentável, direccionada para a segurança alimentar e nutricional, uma vez que são uma parte essencial da dieta humana desde há séculos.

Este alerta é importante, pois embora a produção de grãos tenha aumentado a nível mundial em mais de 20% nos últimos 10 anos, o consumo tem visto um lento mas constante declínio, quer em países desenvolvidos quer em vias de desenvolvimento, que pode ser justificado parcialmente por uma mudança para dietas mais centradas na carne.

Porque é que esta produção é tão importante?
- o cultivo de leguminosas para grão, é indispensável para as comunidades mais vulneráveis em países em vias de desenvolvimento, sobretudo pequenos agricultores e mulheres, que são uma boa parte da força de trabalho;
- por outro lado, as plantas leguminosas ao possuirem capacidade para fixar azoto, promovem o aumento da fertilidade dos solos, havendo assim, um impacto positivo sobre o meio ambiente;
- os grãos produzidos são uma fonte essencial de proteínas e aminoácidos, obtidos através das plantas e devem ser ingeridos com regularidade, como parte de uma dieta saudável contra a obesidade e outras doenças crónicas como a diabetes e o cancro.
- a produção de  grãos fornece uma alternativa acessível, relativamente à proteína animal pois contêm 20% a 25% do seu peso em proteína e os grãos tanto podem ser usados na alimentação humana como animal (em rações).




Outra questão que torna esta produção com elevado interesse, tem a ver com a utilização da água, que se torna altamente eficiente quando comparada com outras fontes de proteína.

Por exemplo, a produção de ervilhas ou lentilhas, requer 50 litros de água por kg, no entanto, para se produzir:
- 1 kg de frango, são necessários 4.325 litros de água;
- 1 kg de carneiro, são necessários 5.520 litros de água;
- 1 kg de carne, são necessários 13.000 litros de água durante o processo produtivo;
face a esta informação, a produção de grãos é uma escolha inteligente em áreas secas ou regiões propensas à seca, onde os grãos compõem 75% da dieta média, em comparação com os 25% nos países industrializados.

Para incentivar o cultivo de leguminosas e garantir produtividades constantes em zonas mais carenciadas do globo, algumas inovações científicas (como o melhoramento genético das culturas e a reprodução selectiva) e tecnológicas (nomeadamente ao nível da monitorização das culturas, aumento da eficiência do uso da água e sistemas de alerta no caso de pragas e doenças – como o OpenPD) são consideradas estratégicas.


Fontes:
http://www.fao.org/pulses-2016/news/news-detail/en/c/345401/
https://twitter.com/UN/status/663921561624162305/photo/1?ref_src=twsrc%5Etfw
https://twitter.com/FAOKnowledge/status/664021672912031744/photo/1?ref_src=twsrc%5Etfw
http://www.fao.org/pulses-2016/en/



0 comentários :

Publicar um comentário