Luta biológica para combater pragas e doenças da oliveira - novidades na investigação agrícola

De acordo com dados recentes da Escola Superior Agrária de Bragança, doenças como a gafa, a tuberculose e o olho de pavão da oliveira têm vindo a aumentar a sua incidência.
Nesse sentido e de acordo com a investigadora Paula Baptista, está a ser desenvolvido naquela instituição um estudo com o objectivo de identificar meios de luta biológicos para controlar estas doenças que levam a grandes perdas na produção agrícola.

Também a “mosca da azeitona” (Bactrocera oleae) uma das pragas mais graves e difíceis de controlar no olival, provocando quebras na produção na ordem dos 15 a 20%, está a ser alvo de estudo na Universidade de Córdoba.


A investigação está a ser liderada pelo Catedrático de Entomologia, Prof. Enrique Quesada, que utiliza o fungo entomopatogéneo[1] Metarhizium brunneum como agente biológico de combate à praga, com o objectivo de controlar a larva que se aloja no solo no Outono e Inverno, onde fica a pupar. O tratamento é feito directamente no solo, sob a copa da árvore, na altura em que a larva ali se instala, tendo os ensaios comprovado que a população no ciclo seguinte é bastante inferior.
Este método além de se mostrar eficaz é amigo do ambiente, não deixando resíduos de nenhum tipo, pelo que o seu uso se demonstra sustentável.
Resta agora, que alguma empresa se interesse por este facto para que passe da fase de estudo à fase de desenvolvimento comercial.

Já conhece a app OpenPD?
Com esta aplicação, tem a possibilidade de solicitar alertas sobre “epidemias potenciais”.
Saiba mais em http://www.openpd.eu/.


Fontes:



[1] É um fungo que pode parasitar insectos, matando-os ou incapacitando-os.

0 comentários :

Enviar um comentário