Agrohomeopatia, já ouviu falar?

Todos os dias somos confrontados com notícias relacionadas com problemas ambientais e com a forma como isso altera o nosso equilíbrio e bem-estar.
E fala-se do efeito de estufa e da diminuição da camada de ozono, da desflorestação em massa, da contaminação dos solos e das águas, do aumento do consumo de adubos e pesticidas de síntese, das sementes transgénicas e dos organismos geneticamente modificados, da possibilidade de em poucos anos termos esgotados alguns recursos não renováveis, …
Felizmente que, ao mesmo tempo que este discurso acontece há sempre alguém a investigar e a estudar no sentido de encontrar alternativas.
E um desses casos, refere-se ao uso da homeopatia na agricultura e aqui, damos-lhe a conhecer um pouco mais…

O conceito de homeopatia surgiu por volta do ano de 1800, após estudos efectuados pelo médico Samuel Hahnemann que confirmaram o postulado de Hipócrates conhecido como a “Lei dos Semelhantes” - “Similia similibus curantur” (semelhante cura o semelhante) ou seja, aquilo que provoca a doença provocará também a sua cura. Era o início de mais uma revolução nas ciências médicas!

E embora este entendido alemão não tivesse feito menção à aplicação desta ciência a organismos vegetais, o facto é que afirmava nos seus relatos que: “se as leis da natureza que proclamo são verdadeiras, então elas podem ser aplicadas a todos os seres vivos”.
Partindo deste princípio, foram iniciadas na Europa, e posteriormente Índia e Brasil, pesquisas sobre o uso de produtos homeopáticos no crescimento e desenvolvimento vegetal, bem como no controle de pragas e doenças, com resultados satisfatórios.
No entanto, para o agrohomeopata há desafios acrescidos pois ao trabalhar com um organismo vegetal, que não apresenta reação compreensível como os animais, terá que ser plenamente entendido o contexto em que se encontra cada planta, para que esta possa ter o tratamento mais adequado para os “sintomas” que manifesta.
Mas esta terapia não é consensual, nem na aplicação para uso humano nem em animais e plantas, pois há quem a considere apenas uma pseudociência reforçando que os “remédios” homeopáticos não são eficazes e têm apenas um efeito placebo.

Contudo, face ao momento em que vivemos na procura de outros caminhos mais holísticos em que se pretendem compreender os fenómenos na sua totalidade e globalidade, a homeopatia está a ganhar lugar nas práticas agrícolas.
Assim, está a ser cada vez mais considerada em termos de terapia para uso em animais e plantas, principalmente para quem não é defensor da utilização de substâncias químicas e/ou para quem se rege pelos princípios de agricultura biológica, dado que neste contexto, são essenciais a adopção e aplicação de técnicas que promovam o equilíbrio do sistema minimizando o aparecimento de pragas e doenças.

Já alguma vez recorreu à homeopatia? Deixe-nos a sua opinião no blog (http://blog.openpd.eu/).


Fontes:

0 comentários :

Publicar um comentário