Porque é tempo de girassóis, saiba mais sobre eles…

Quando chega o calor, é tempo deles pelos campos - os girassóis, que fazendo jus ao nome não só estão sempre à procura do astro rei (fenómeno designado por heliotropismo) como também a sua forma e cor o fazem lembrar!

Curiosidades:
De seu nome científico Helianthus annuus, (deriva do grego “helios” que significa sol e “anthos” que quer dizer flor), pertencem à família das Asteraceas e têm origem no Perú.
Pelo mundo são também conhecidos como: girassol (Espanha), Tournesol (França), Girasole (Itália), Sunflower (Reino Unido e outros), Sonnenblume (Alemanha), entre outras designações.

Estas plantas anuais, bastante rústicas, tanto podem atingir 2 a 3 metros de altura como 40 cm, se as variedades forem anãs.
As inflorescências, do tipo capítulo, podem atingir 30 cm de diâmetro e são muito atrativas quer para as aves (devido às sementes de cor castanha) quer para os insectos polinizadores.

Na crença popular a “flor” do girassol significa felicidade e a cor amarela simboliza calor, lealdade, entusiasmo e vitalidade, refletindo a energia positiva do sol. Na simbologia cristã, invoca a busca de luz divina. Já os imperadores romanos, os reis da Europa e da Ásia coroavam as suas cabeças com girassóis. Na China, é símbolo de imortalidade. Por estas razões, na prática de Feng Shui, é muito utilizada na decoração.

Mas hoje em dia o seu cultivo está cada vez mais em expansão e já não se limita o uso à questão ornamental, dado que sendo uma planta oleaginosa, as sementes podem ser usadas para diferentes fins: produção de óleo alimentar, biodiesel, lubrificantes, sabonetes e até consumo humano em snack (“pipas”). Por outro lado, as fibras existentes no longo caule também podem ser usadas para fabrico de papel.

Do ponto de vista nutricional, as sementes de girassol contêm cerca de 587 kcal/100g sendo uma boa fonte de gordura mono e polinsaturada, fibras, proteínas, vitaminas (como E e B1) e minerais em quantidades apreciáveis (p. ex: manganês, cobre, magnésio e selénio).
Apesar de as sementes de girassol fornecerem quantidades elevadas de energia, bastam 30 g para obter um efeito visível na redução da saciedade e no fornecimento de nutrientes.

Condições gerais de cultivo:
- prefere solos com pH ácido a neutro (acima de 5,2), com índice de matéria orgânica entre os 2,5% e os 4%, profundos e sem riscos de encharcamento;
- adubação NPK em que o adubo deve ter maior quantidade de potássio disponível e menos fósforo;
- deve semear-se a uma profundidade de cerca de 3 cm em solos com alguma humidade e em zonas de boa exposição solar;
- deve-se regar com regularidade, para evitar deficiências de crescimento.

Principais pragas e doenças:
Embora seja uma planta rústica, e daí mais resistente, é susceptível à alternaria e atacada por roscas (Agrotis ípsilon), lagarta-do-girassol (Chlosyne lacinia saundersii) e até formigas, entre outras espécies.

Aconselham-se boas práticas culturais para evitar o aparecimento quer de doenças quer de pragas, mas se tiver dúvidas use a aplicação OpenPD e envie a sua publicação para o fórum onde à sua espera está uma comunidade (entre técnicos, agricultores e académicos) que o poderá esclarecer.
É simples e gratuito. Descarregue já a app em https://goo.gl/PyHmgO.

Fontes:


0 comentários :

Enviar um comentário