A importância de ser e não apenas parecer sustentável…


“Se as cidades forem destruídas e os campos conservados, as cidades ressurgirão; mas se queimarem os campos e conservarem as cidades, estas não sobreviverão.”
Benjamin Franklin (EUA, 1706-1790)
Diplomata, cientista, educador e político


Esta frase que se mostra intemporal, encerra a importância da agricultura para a população, realçando algumas situações:

  • o facto de durante muitos anos se ter negligenciado o espaço rural em prol das cidades, levando a que muitos dos terrenos agrícolas fossem absorvidos/invadidos pelo perímetro urbano;
  • a necessidade de se manterem os campos agrícolas ativos e não abandonados;
  • por mais novidades e tecnologias que existam, a base da sustentação humana ainda passa por uma alimentação que recorre aos alimentos produzidos pela agricultura, seja ela convencional, biológica, biodinâmica ou a permacultura. 


Mas para que o cenário mostrado por Benjamin Franklin, de uma cidade que morre, não aconteça, é necessário que cada um por si tome consciência do seu papel e encare a palavra sustentabilidade com consciência
O que se tem verificado é que esta palavra comprida e que enche o discurso é cada vez mais utilizada, mas ainda assim, pouco compreendida e praticada.

Não basta parecer, há que ser sustentável!

E ser sustentável significa que se utilizam os recursos disponíveis na natureza sem os esgotar, para que permaneçam disponíveis para as gerações futuras.
Este conceito, deve ser praticado desde cedo, dentro de casa, no trabalho, na escola ou mesmo na rua.

E porque não começa hoje? 

Em agricultura, esta atitude é cada vez mais valorizada.

Se identificar precocemente pragas e doenças das suas culturas, significa que as pode proteger melhor, evitando ataques que levam à sua perda física e consequentemente, a graves perdas económicas. 


Já descarregou a aplicação móvel OpenPD que o apoia nesta tarefa?
Pode fazê-lo de forma fácil e gratuita em http://goo.gl/U5gHuY.

0 comentários :

Enviar um comentário