Pragas e doenças em estufas – quais os riscos?

O cultivo em ambiente protegido, numa estufa por exemplo, tornou possível a alteração das condições de crescimento e de reprodução das plantas, devido ao facto de se controlarem parcialmente os efeitos adversos do clima.
Nesta perspectiva, é possível haver:
  • colheitas fora de época
  • extensão do período de colheita
  • um maior crescimento das plantas
  • um aumento de produtividade
  • melhoria da qualidade de produção
  • maior rentabilidade económica
  • redução das perdas de nutrientes por lixiviação
  • maior eficiência no controle de doenças e pragas.

Porque é importante o conhecimento técnico?
Para que se otimizem estas situações, é necessário que os agricultores tenham conhecimento dos aspetos culturais e tecnológicos das culturas que exploram e do seu manuseamento em estufa.

Caso não exista este conhecimento ou não haja apoio técnico nesse sentido, a alteração dos fatores edafoclimáticos em vez de ser benéfica pode ser bastante prejudicial e os danos causados por pragas e doenças podem ser de tal maneira severos, que inviabilizem o cultivo. Mas há sempre possibilidade de se aprender mais…

Quais as condições favoráveis ao aparecimento de doenças? 
Se não houver um controle eficaz, as doenças das culturas em estufa, principalmente em agricultura convencional, tendem a tornar-se mais severas porque há condições que propiciam o seu aparecimento, como:
  • ambiente mais favorável ao crescimento vegetativo
  • melhor estado nutricional das plantas
  • melhores condições de irrigação
  • maior densidade de plantas
  • menor luminosidade
  • redução dos ventos/menor arejamento
  • monocultivo.

Assim, é importante que o agricultor tome consciência do potencial que tem ao ter uma estufa, para que possa tirar dela o melhor proveito.
Nesse sentido, deve não só procurar forma de controlar as pragas e doenças das plantas, como também atuar sobre todos os componentes da cadeia produtiva que possam interferir, desde a preparação do solo, às práticas culturais a implementar, à seleção de variedades mais adequadas, à fertirrigação, ….

Dicas para limitar os riscos de doenças na estufa:
Na compra
Inspecione bem as plantas antes de comprar. Rejeite as que estiverem fracas ou que apresentem sintomas de pragas e doenças.
No cultivo
Nunca cultive dois anos seguidos no mesmo local da estufa, plantas da mesma família, pois o risco de se desenvolverem doenças é maior.
Na rega
Regue na base da planta para evitar os salpicos, pois estes podem transmitir esporos patogénicos e contaminar as plantas sãs. Reduza as regas no tempo húmido.


Se detetar alguma praga ou doença na sua estufa, tem a app OpenPD que o apoia na sua identificação.
Descarregue de forma fácil e gratuita esta aplicação para telemóveis em https://goo.gl/L6baP6.
Saiba mais em: http://www.openpd.eu/pt/inicio/.

Fontes:
Guia Verde das Hortas e Jardins; Ed. DecoProteste (1999)

0 comentários :

Publicar um comentário