Romã – o “fruto” que anuncia o Natal…

A romãzeira, de seu nome científico Punica Granatum (significa literalmente “maçã com sementes”), é uma espécie originária da Pérsia, mas que atualmente está adaptada a diferentes regiões, como o Mediterrâneo, a América do Sul, os Estados Unidos, ....

Desde tempos imemoriais, a romã, é considerada uma relíquia sagrada da natureza que simboliza o amor, a vida, a união, a paixão, o sagrado, o nascimento, a morte e a imortalidade, sendo referenciada em diversas culturas por estas e mais algumas razões.
  
Sabia que?
Os romanos chamavam à romã “maçã de Cartago” ou “fruto de grãos”.
Homero, no seu poema épico “Odisseia” também a descrevia…
Na Arménia, Brasil e China é símbolo de fertilidade, abundância e sorte.
No Irão, é significado de boa saúde e uma vida longa.
O nome da cidade espanhola de Granada tem origem na palavra em latim “Granatum”.
No livro do Êxodo, há relatos de romãs esculpidas no Templo de Salomão.
O profeta Maomé afirmava: “comam romãs, para se livrarem da inveja e do ódio”.
Na mesa dos católicos as romãs não podem faltar no Natal, como símbolo de retidão e honradez.

Mas para termos romãs, temos que as cultivar… Então o que saber e fazer?

Para se terem pomares de romãzeiras extreme com boa produção, é essencial conhecer a espécie e as suas necessidades em termos culturais.

Caraterísticas gerais:
A romãzeira pode ter a forma de pequena árvore ou arbusto, atingindo entre dois a cinco metros de altura, com um tronco acinzentado e ramos avermelhados quando novos.
As folhas são verdes, brilhantes e as flores são em geral vermelho-alaranjadas, podendo ser simples ou dobradas dependendo das variedades. 

A romã, “fruto” que em termos agronómicos se designa infrutescência, tem uma forma arredondada e achatada, encimada por um cálice que lembra uma coroa.  Apresenta uma casca grossa e resistente, de cor vermelho escuro a púrpura podendo também ser amarela, que serve de proteção ao interior que está preenchido por minúsculas sementes comestíveis de cor vermelho forte ou carmim, com sabor agridoce e refrescante, agrupadas dentro de compartimentos separados por membranas, de cor pálida e sabor amargo.

Apesar de encontrarmos romãs à venda durante todo o ano, a época em que as suas propriedades organoléticas estão mais apuradas situa-se entre o início de Outubro e meados de Dezembro.

Exigências edafoclimáticas:
A romãzeira não é exigente em solos, mas prefere os mais profundos do tipo aluvião.
Adapta-se bem a solos de reação alcalina e até com alguma humidade. No entanto, o solo ideal deve ter textura ligeira, ser permeável, profundo e fresco.
É tolerante à seca, à salinidade, à clorose férrica e ao calcário ativo.

Quanto ao clima, o mais adequado para o cultivo desta espécie é o subtropical, temperado quente ou até o tropical. Fora destas regiões, adapta-se bem aos climas temperados e mediterrânicos, em locais onde as temperaturas sejam elevadas na época de maturação dos frutos e não desçam abaixo dos -15ºC.
Apresenta-se sensível às geadas tardias de primavera.

Práticas culturais:
A altura mais propícia para efetuar a plantação é a época compreendida entre o início de janeiro e o começo da primavera, ou seja, na época de repouso vegetativo da planta, embora nos meses de janeiro e fevereiro, se obtenham melhores resultados.

Além da época de plantação, também devem ter-se em conta outras práticas, que contribuem para um melhor desenvolvimento do pomar de romãzeiras, como por exemplo:
  • Gradagem: deve ser feita a 20/40 cm de profundidade e com uma ripagem na linha;
  • Camalhões: devem ser feitos com nivelador de modo a evitar o problema da asfixia radicular;
  • Compassos aconselhados: 6x4m (é o que melhor garante a iluminação, permitindo a coloração dos frutos e também o manuseamento fácil dos equipamentos de cultivo), 6x3m, 5x3m, 5x2.5m.
  • Adubo: deve ser de libertação lenta;
  • Tutores e tubo de proteção: devem ser colocados em cada planta;
  • Nos primeiros dois anos não é aconselhável o uso de herbicidas residuais;
  • No segundo inverno pode ser passado um herbicida na linha.


Quanto à rega, a gota-a-gota com dois gotejadores nos primeiros anos e quatro gotejadores por árvore a partir do 5º ano de vida do pomar é a mais aconselhada, com débitos que vão dos 10 até 30 m3/dia.
A quantidade total aproximada de água por campanha prevê-se nos 4.000 m3/ha.

Relativamente à poda anual, deve realizar-se de fins de dezembro a fins de janeiro, tendo como principais objetivos:
  • provocar o arejamento e a iluminação da copa, retirando madeira velha, ramos mal inseridos ou que apresentem alguma doença ou ataque de pragas;
  • retirar os ramos ladrões, que se formam no centro da copa e junto ao tronco, de forma a não permitir a formação de um arbusto, visto que é esta a tendência natural da árvore;
  • facilitar a aplicação de tratamentos fitossanitários.

Para um melhor controlo de infestantes, aconselha-se fazer-se o enrelvamento permanente na entrelinha, com destroçamento das infestantes e a utilização de um herbicida na linha, uma ou duas vezes por ano.

Principais pragas e doenças:
As pragas mais comuns são os afídios (Aphis punicae), que aparecem normalmente em meados de Maio e a mosca do mediterrâneo (Ceratitis capitata).
As doenças que mais prejudicam a cultura são a podridão do fruto (Botrytis cinerea) e o crivado (Clasterosporium carpophilum).

Acidentes fisiológicos:
Dados estatísticos apontam quebras de produção de cerca 30 %, devido a estes acidentes.
O mais comum é o rachamento do fruto, e é provocado pelo desequilíbrio hídrico entre a fase de crescimento e de maturação do fruto.
Este acidente acentua-se em anos de seca e nas cultivares de floração tardia.
Outras situações que podem provocar o rachamento dos frutos são – a salinidade da água e a precipitação na altura da colheita. 


Outro acidente que também se costuma verificar é o escaldão, que é provocado por forte insolação, levando a queimaduras nos frutos que apresentam na casca pequenas gretas e manchas de cor castanha a negra.
Ao contrário da maioria das outras frutas, que quanto mais radiação solar recebem, maior coloração adquirem, no caso da romã, nos locais em que o sol incide com mais intensidade e durante mais tempo, os grãos no seu interior ficam mais esbranquiçados.
Após este acidente, os frutos ficam com um sabor ácido e desagradável.

Quando olhamos para as romãs, à primeira vista parecem ser praticamente iguais em termos de forma, mas a verdade é que existem muitas variedades.
As mais populares são as que constam do quadro a seguir.

Variedades
Caraterísticas
Angel Red
  • apresenta uma coloração intensa
  • as sementes são muito macias
  • tem sabor adocicado
  • tem uma quantidade de sumo superior a todas as outras

Dente de Cavalo
  • variedade italiana
  • apresenta grão grosso e fácil de sair

EMEK
  • a colheita é feita em setembro
  • apresenta sementes macias
  • sabor adocicado

Wonderful*
  • variedade americana
  • romã de colheita tardia (de outubro a novembro)
  • o fruto tem uma cor intensa
  • as sementes são grandes e semiduras
  • tem sabor ligeiramente ácido

Mollar de Elche*
  • fruto de grande dimensão
  • bagos têm uma coloração menos intensa e são pouco aderentes
  • as sementes são bastante reduzidas, logo, mais comestíveis
  • tem sabor doce

Mollar de Valencia*
  • o fruto é de grande dimensão
  • os bagos são grossos, com sementes muito reduzidas

* Estas variedades estão livres de royalties.

A nível mundial os maiores produtores são: Afeganistão, Irão, Israel, Brasil, EUA, Itália e Espanha, sendo esta o maior exportador europeu.


Comercialização:
Uma vez que ainda há poucos pomares extremes de romãzeiras em produção em Portugal, a concentração da oferta é reduzida e a qualidade dos frutos é heterogénea.
Espanha é assim, o principal fornecedor do mercado nacional, com uma quota que se estima ser de quase 100 %.

A comercialização da parca produção portuguesa é caraterizada por:
  • ser feita maioritariamente ao nível dos pequenos mercados regionais;
  • as vendas para o exterior serem praticamente nulas.

Durabilidade:
As romãs podem manter-se em boas condições durante muito tempo, se forem armazenadas a baixas temperaturas (entre 0º e 5ºC). Neste caso continuam a amadurecer, tornando-se mais sumarentas e saborosas, podendo manter-se assim durante meses. Devido à dureza da casca, possuem também uma boa resistência ao transporte.

Mas porque é a romã tão apetecível?
  • É um fruto, que se degusta ao natural, grão a grão, em saladas, como guarnição de pratos, em gelados, compotas e em bebidas ou xaropes, como o famoso Grenadine.

  • Apresenta uma incomparável suculência, devido ao seu elevado teor de água (80%).
  • Tem baixo valor calórico (100 gramas da fruta têm 62 calorias), devido ao seu menor conteúdo em hidratos de carbono e uma quantidade significativa de potássio, cálcio, fósforo e vitaminas A, B e C.
  • Tem baixo teor de açúcares (17%).
  • É um excelente depurativo, purificador do sangue e desintoxicante, fortalecendo as defesas do organismo.
  • Possui propriedades anti-inflamatórias e digestivas.
  • Ajuda a reduzir o colesterol no sangue.
  • Ajuda a prevenir doenças como a diabetes, a obesidade e hipertensão.
  • Fortalece o sistema imunitário e previne o cancro.
  • É um poderoso antioxidante por conter mais de 80 fitoquímicos (a sua capacidade é quase 3 vezes superior à do vinho tinto e chá verde).
  • Como essência floral, é usada para equilibrar os aspetos yin e yang.


Por tudo isto e muito mais que vai descobrir por si…

Dica: Para ser mais fácil abrir uma romã e as sementes saírem, deve desmanchar o fruto cortado em quartos dentro de água. A parte comestível vai ao fundo, pois é mais pesada, e a parte amarela, que não se come, flutua.

E não se esqueça…  no “Dia de Reis”, coma três bagos de romã e peça aos Reis Magos prosperidade (cujo significado é muito abrangente -  ganhar dinheiro, ter um novo emprego, empreender alguma nova atividade com sucesso, ter boas amizades, novos amores, reconciliação, sabedoria, …


Plante ou coma romãs e seja feliz em 2017!

E a app OpenPD, que pode descarregar gratuitamente aqui (https://goo.gl/HKrOQN) apoia esta causa… J



Fontes:
https://goo.gl/TeG3w5
https://goo.gl/P1PR00
https://goo.gl/SpEI1z
https://goo.gl/MrG1Is
https://goo.gl/PKVgGX
https://goo.gl/hgqnh8

0 comentários :

Enviar um comentário