Vai uma dose de legumes, frutos e leguminosas?


Apesar de os portugueses ainda consumirem elevadas quantidades de alimentos dos grupos “carnes, pescado e ovos” e “óleos e gorduras” (a ingestão dos alimentos contidos nestes grupos não deveria ultrapassar os 5% e os 2%, segundo a Roda dos Alimentos), os hábitos alimentares estão a mudar…

Esta é a conclusão que pode ser extraída da Balança Alimentar Portuguesa (BAP) 2012-2016, uma vez que se notou um ligeiro aumento da ingestão de legumes, frutos e leguminosas secas.



É assim necessário apelar mais à dieta mediterrânica, Património Imaterial da Humanidade declarado pela UNESCO, em dezembro de 2013.
De acordo com os dados disponíveis do “Inquérito Nacional de Saúde 2014” verifica-se que, 4,9 milhões de portugueses consumiram, em média, 1,8 porções de legumes ou saladas por dia. E destes, as mulheres consumiam mais do que os homens (60,7% contra 48,8%), assim como, a população de uma faixa etária entre os 55 e 74 anos (60,8%).

Só 37,5% dos jovens entre 15 e 24 anos consumia diariamente legumes ou saladas.

Quanto ao consumo de fruta, o inquérito indica que cerca de 6,3 milhões portugueses (70,8%) ingeriram, em média, 2,3 porções diariamente, sendo este consumo menos frequente entre os jovens (dos 15 aos 24 anos) e mais frequente a partir dos 45 anos.
  
Mas não chega dizer às pessoas que devem ingerir mais legumes, frutos e leguminosas. É preciso apresentar produtos de excelência!

Porque hoje o consumidor está mais exigente, até as grandes cadeias de supermercados já estão atentas a este mudar de mentalidades – consumir menos, com maior variedade e de melhor qualidade, é o lema
E entre produtos de origem biológica, sem glúten, sem adição de açúcares, com menos sal, …, a oferta é grande.
E na base de tudo está aquele que produz, o agricultor, que também tem feito um esforço para obter produtos cada vez mais saborosos, recorrendo a menos químicos de síntese, promovendo a melhoria do meio ambiente e da saúde animal e humana. 

No quadro abaixo veja alguns dos produtos que começam a estar mais presentes nos pratos dos portugueses:

Produto
Nome científico
Benefícios p/ a saúde
Como escolher
Sugestão de uso
Abóbora manteiga
Cucurbita L.
Rica em vitaminas E, C e complexo B. Fornece fibras, potássio, ferro e cálcio. As suas características ajudam no combate ao cancro e ajudam à imunidade do corpo
Dê preferência as menores, com casca lisa e sem brilho
Em pratos quentes, cozida com casca e desfeita em puré. Salteada, estufada,… Para doces e bolos. Também é possível assar as sementes e consumi-las como aperitivo.
Curgete
Cucurbita pepo L.
Fonte de betacaroteno, vitamina C, ferro e cálcio. Além disso, tem uma casca rica em fibras e possui poucas calorias porque é composta de muito líquido. Indicada para hidratar o corpo, prevenir a osteoporose, evitar pressão alta e os problemas cardiovasculares.
Evite comprar as que estão rachadas e dê preferência às que estão mais brilhantes e rijas.
O ideal é consumir a curgete com a casca e cozinhá-la rapidamente para manter as propriedades. Indicada na preparação de sopas, refogados, pratos gratinados, saladas e suflês.

Batata doce
Ipomoea batatas
Rica em hidratos de carbono,  em vitamina A e C.
Evite as que forem muito retorcidas (por ser mais prático o corte) e as que tiverem polpa muito escura e zonas moles.
Usada para gratinar, saltear, para fazer puré, pães, bolos e doces de colher.
Beringela
Solanum melongena
Contém ferro, fósforo e manganês (indicado para as mulheres).
Deve ter um roxo intenso e brilhante evitando as que estiverem amassadas.
Pode ser recheada e feita no forno, salteada com outros legumes, cozida à vapor, …
Beterraba
Beta vulgaris L.
Rica em ferro e açúcares naturais.
Previne problemas do coração, o envelhecimento precoce. E tem grande poder antioxidante.
Escolha beterrabas mais pequenas (são mais saborosas), firmes e com as cascas mais lisa.
Usada em purés, sopa, salada, salteada com outros legumes, sumos,  …
Gengibre
Zingiber officinale
Usado para combater enjoos, tonturas, constipações e gripes.
Dê preferência ao gengibre maduro e liso.
Pode ser consumido seco, fresco, em conserva e em pó. Se guardar o gengibre fora do frigorífico, prefira um local fresco, se for dentro, evite os locais mais húmidos.
Usado em sopas, chás, bolos, …

Quando se fala em agricultura surge sempre o tema das pragas e doenças das plantas, como um dos grandes desafios a enfrentar.
Se tiver dúvidas, a aplicação para telemóveis OpenPD pode dar-lhe uma primeira ajuda, de forma simples e rápida, na identificação das mesmas.
Descarregue a app de forma gratuita em http://blog.openpd.eu/


Fontes:
https://goo.gl/35fjhN
https://goo.gl/oGaKxi
https://goo.gl/i6iI4M
https://goo.gl/XdzuWk
https://goo.gl/hjXcXV
https://goo.gl/2jp5vu

0 comentários :

Publicar um comentário