Pragas e doenças das plantas – algumas causas para o seu aumento

Nos últimos anos, o número de pragas e doenças das plantas tem vindo a aumentar, apesar do uso crescente de pesticidas.
Mas porquê?
Existem diversas razões, que a seguir enunciamos, mas a maior responsabilidade é do agricultor, por falta de conhecimento das consequências de algumas práticas agrícolas que utiliza.

Principais causas do aumento de pragas e doenças de plantas
Situações a evitar (exemplos)



Utilização de novas cultivares ou variedades cultivadas mais sensíveis, é um factor de alto risco de perda de produção e da sua qualidade
Macieiras muito sensíveis ao pedrado: Jerseymac, Jonagold, Royal Gala, Mondial Gala, Gala Galaxy;

Oliveiras muito sensíveis à mosca da azeitona: Conserva de Elvas, Cordovil de Castelo Branco, Galega, Maçanilha, Picual, Redondil;

Oliveiras muito sensíveis à gafa: Conserva de Elvas, Cordovil de Castelo Branco, Galega, Redondil.



Simplificação das rotações e monocultura, promove o risco de ataque
Rotações em estufa: tomate-pimento-pepino-melão; temos duas solanáceas (tomate e pimento) com doenças e pragas comuns e a seguir colocamos duas cucurbitáceas em situação semelhante;

Rotações ao ar livre: batata-couve repolho-cenoura-couve brócolo; apesar de haver duas culturas diferentes intercaladas com as couves, há maior risco de ataque de pragas - mosca e a falsa potra, e de doenças – hérnia e potra da couve.
Destruição dos auxiliares, pela toxicidade dos pesticidas
Tratamentos com pesticidas de síntese química.

Fertilização em excesso ou em desequilíbrio
Adubação a mais, em especial com azoto, torna a planta mais vulnerável aos ataques de pragas (principalmente as picadoras-sugadoras como piolhos, cochonilhas e mosquinhas brancas) e doenças.
Utilização de sementes, plantas ou material de enxertia doentes
Comprar estes materiais sem ser em viveiros certificados e que tenham passaporte fitossanitário a acompanhar (mesmo assim, convém ter muita atenção!).


Outras práticas culturais incorretas
Destruição de sebes, muros de pedra e outras zonas de abrigo para auxiliares; eliminação completa de infestantes, pois são fonte de alimento para os insectos úteis e outros auxiliares; abandono no terreno de restos de culturas doentes ou próximo de outras culturas; enterramento de estrumes frescos sem compostagem prévia; colocação de estufas muito fechadas e com pouco arejamento; utilização de compassos de plantação e sementeira muito apertados; …


Principais causas do aumento de pragas e doenças de plantas
Situações a evitar (exemplos)


Resistência aos pesticidas
Aumento de dosagens, pois tem como consequência a ineficácia dos produtos (mesmo os mais tóxicos).
Muitas vezes a praga, além de não ser combatida ainda é favorecida, seja pela influencia directa do pesticida (maiores posturas, maior longevidade), seja pela destruição de auxiliares que, caso não fossem mortos pelo tratamento, ajudariam a combater a praga (Fig. 1)

Fig. 1 – Efeito do acaricida carbaril na fecundidade (posturas) de aranhiço vermelho (Panonychus ulmi) após tratamentos com duas concentrações de pesticida (40 e 80 gramas de substância ativa por 100 litros de água).

Promova boas práticas agrícolas, pela sua saúde, dos seus filhos e do planeta!

E já agora, se tiver dúvidas, descarregue a aplicação para telemóveis OpenPD em http://blog.openpd.eu/ que o apoia na identificação de pragas e doenças das plantas, de forma simples.

0 comentários :

Publicar um comentário